8.10.07

Che por todos os lados

O 40º aniversário a morte de Che está gerando uma quantidade enorme de notícias. São estréias de filmes, protestos, notícias envolvendo sua morte. Há de tudo um pouco.

Da sessão "já vi antes" tem várias notícias que aparecem agora na imprensa, mas já estavam na matéria publicada pela Piauí em setembro. Dessas, a que acho mais engraçada é o "furo" que revela que Mario Terán, o homem que matou Che, foi operado de catarata por médicos cubanos. Todo mundo – inclusive a imprensa brasileira – embarcou feliz na notícia, um mês depois da Piauí.

Na mesma linha, há a "descoberta", pela AFP, de que a caçada a Che adiantou alguns métodos da Operação Condor, outra coisa que constava da reportagem da Piauí.

Na sessão de curiosidades, secos & molhados, há diversos biscoitos.

• A BBC Brasil fez um "micro-personal-Che" de uns quatro minutos com depoimentos em Moscou, Miami, Londres e Cairo.

• O Senado brasileiro, a pedido do senador José Nery, do PSOL paraense, vai fazer uma sessão em homenagem a Che. Adoraria ver qual será a reação do PFL e outros partidos.

• Fidel deixou o silêncio para lembrar o companheiro de armas, num pequeno editorial no Granma. Numa parte, diz que ele foi como "uma flor arrancada prematuramente de seu talo". Conclui afirmando que "viu e escutou pela televisão" o ato comemorativo comandado por seu irmão, Raúl.

• A EFE (postada na Folha), entrevista Julia Cortez, a professora que diz ter visitado Che na escolinha de La Higuera enquanto o argentino aguardava seu destino. Ninguém avisa aos pobres repórteres que se trata de uma mitômana.

• A Reuters cai na velha história de que Vallegrande e La Higuera lucram com um boom turístico em torno da morte de Che. Pois é. Chegam lá, é longe pra burro, têm que agradar os editores. Na verdade só tem muita gente nos aniversários redondos. Segundo o Granma, esse ano são sete mil.

• Balanços sobre Che. O LA Times acha que ele ainda é vigente. A Reuters, não.

Muita gente quis ver uma cinebiorafia dele na Itália.

• Mais gente ainda quis jogar bosta (termo deles) na redação da Veja, que fez uma já famosa matéria sobre Che.

• Chávez fez uma homenagem. Um partido de ultradireita na Áustria, mais uma apropriação.

• Pra finalizar, Cuba garante que fez a prova de DNA no cadáver. Sim, é de Che.

2 comments:

Roxo sem PC said...

Mas, Douglas, um homem safo como você ainda se espanta com os furos da imprensa?!?
Fala sério, babe...

Douglas said...

Pois é. Sou safo mas ainda tenho um coração de manteiga.