14.10.07

O papa não tem dogmas



Mestre Eduardo Coutinho abre o verbo sobre seu trabalho (e o dos outros) num vídeo de vinte e poucos deliciosos minutos na recém-nascida Moviola (palmas pela bela estréia, aliás).

Há tempo me impressiona como parte da crítica e a academia gostam de usar os filmes de Coutinho (a outra vítima é Jean Rouch) pra ventilar seus dogmas e "não-podes" no campo do filme documentário. Foi só mais recentemente, lendo com mais atenção entrevistas do próprio Coutinho e, em certas ocasiões, tendo a sorte de bater papo diretamente com ele, que me dei conta de quanto ele não faz proselitismo de seus métodos. Há uma frase que mostra isso de forma clara lá pelos 18 minutos da vídeo-conversa, onde ele fala do seu arrepiante Jogo de cena. Vai mais ou menos assim:

"Essa questão de usar atores ou não, misturar eles, isso para mim não é um problema. É um jogo."

Pois é. É muito mais produtivo e criativo encarar as coisas em termos lúdicos que em debates de certo e errado.

* Mais tarde atualizo o post com outras frases, se der.

1 comment:

Aristeu Araújo said...

Opa Douglas, que bom que gostou da Revista Moviola. Valeu aí pelo link e continue nos visitando. Grande abraço.